Mudança Linguística, Linguística Teórica

Programa da Área Temática
Coordenadora: Ana Maria Martins



18 de Julho







11.00-13.00

1A. Português medieval (S.3.1)


1B. Gramaticalização I (S.4)


Paulo Osório (pres. de mesa)  


Telmo Móia (pres. de mesa)  


fezelhe crẽẽte que avya hi hũũ postigoo: fazer + particípio presente em Português Antigo 

Cláudia Martins; Alexandra Fiéis; Maria Lobo (Univ. Nova de Lisboa)


Entre o saber e a fé. Construcionalização de seica e abofé como marcadores epistêmicos de assertividade em galego 

Francisco Cidrás (USC)








Os múltiplos valores do item homem no Português Antigo

Clara Pinto (ULisboa)


A gramaticalização de Nossa Senhora nos falares mineiro e fluminense

Bruna A. M. Cohen (UFMG)








Construções com haver e ter de valor epistémico – alguns dados de testemunhos dos séculos XIII-XV

Maria Teresa Brocardo (Univ. Nova de Lisboa)


Uma análise construcional das perífrases de gerúndio de aspecto cursivo no Português

Quezia Oliveira (UFRJ/USC)








Sobremodalizar é sobremoralizar? A coocorrência de modais no português medieval

José António Costa (CLUP/IPPorto)


O legado da língua latina no processo de gramaticalização de construções aspectuais inceptivo-iterativas na Língua Portuguesa

Sueli M. Coelho (UFMG)











15.00-17.00

2A. Português clássico (S.3.1)


2B. Gramaticalização II (S.4)


Maria Lobo (pres. de mesa)  


Clara Barros (pres. de mesa)  


Próclise e ênclise na oratória barroca

Ana Paula Banza (Univ. Évora)


Emergência de juntores contrastivos na história do português: contextos, polissemia e subjectivização

Sanderléia Longhin (UNESP)








Demonstratives as anaphors: Another clue for V2 comparing older Romance and Germanic

Aroldo de Andrade (Unilab); Charlotte Galves (UNICAMP)


Não obstante ~ apesar de: variação e gramaticalização

Pâmella A. Pereira; Larissa P. M. Ferreira (UFVJM)








Que or Quem? The variable use of relativizers in Classical Portuguese

Aroldo de Andrade (Unilab)  


As preposições com e em em contextos de construcionalizacão no Português Brasileiro

Vanda Cardozo de Menezes; Monclar Guimarães Lopes (UFF)








Ordem e função do clítico SE na história do Português

Eloísa M. B. Lopes (UFBA/UESB); Cristiane Namiuti (UESB); Danniel S. Carvalho (UFBA)


Paradigmatização de formas gramaticalizadas: para que e cadê que

Odete P. S. Menon (UFPR)











19 de Julho











11.00-13.00

3A. Diacronia do Português (S.3.1)


3B. Fonologia Histórica (S.4)


 Rosario Álvarez (pres. de mesa)  


Ana Paula Banza (pres. de mesa)  


A codificação de tópico do sujeito nas construções participiais absolutas licenciadas em textos de autores portugueses dos séculos XV, XVI e XVII 

Alba Gibrail (UNICAMP)


Las grafias «ff», «f», «h» en la documentación medieval castellana

Vicente J. Marcet Rodríguez; Manuel Nevot Navarro (Univ. Salamanca)








Artigo definido antes de antropónimo em documentos portugueses (séculos XV e XVI)

Yoselin Henriques; Sofia Sabatini (Univ. Zürich)


Alçamento de vogais médias pretônicas /e/ e /o/ no Português Sul-Rio-Grandense: retrato oitocentista e alternativa de interpretação do grafema como indício fonético/fonológico

Valéria Monaretto; Roberto Nasi (UFRGS)








Sobre o uso do modo subjuntivo ao longo da história do português

Dinah Callou; Erica Almeida (UFRJ)


Assimilação vocálica na diacronia e na sincronia do português explicada pela Fonologia dos Elementos 

João Veloso (Univ. Porto)






A correlação entre ordem sujeito-verbo e próclise no português brasileiro: um estudo formal diacrónico

Marco Antonio Martins; Izete Coelho (UFSC)







15.00-17.00

4A. Português brasileiro I (S.3.1)


4B. Morfologia Histórica (S.4)


 Charlotte Galves (pres. de mesa)  


 Maria Antónia Mota (pres. de mesa)  


Análises das ordens com inversão do sujeito (VSO e VOS) na diacronia do português europeu e do português brasileiro

Aline Gravina (UFFS)


Perspectivas novas para a história da morfologia galego-portuguesa

Paul O’Neill (Univ. Sheffield)








Estruturas de Focalização em peças brasileiras e portuguesas

Silvia Cavalcante; Maria Eugênia Duarte; Mayara de Paula (UFRJ)


Contributos para o estudo da morfologia derivacional no Português Antigo

Maria do Céu Caetano (Univ. Nova de Lisboa)








Sintaxe da ordem e estrutura informacional da sentença na história do português brasileiro

Silvia Cavalcante (UFRJ)


O sufixo diminutivo -inho em textos portugueses do século XVI

Messias S. Santana (UESPI / USP)








O feixe de propriedades relacionadas ao Parâmetro do Sujeito Nulo em peças de teatro portuguesas e brasileiras dos séculos XIX e XX

Maria Eugênia Duarte; Juliana Marins; Humberto Soares da Silva (UFRJ)


















20 de Julho







11.00-13.00

5A. Português brasileiro II (S.3.1)


5B. Línguas em Contacto (S.4)


 Rui Marques (pres. de mesa)  


 Celeste Rodrigues (pres. de mesa)  


A arbitrariedade de terceira pessoa em PB

Fernanda Cerqueira (UFBA)


Manuscritos portugueses do Arquivo Regional de Ernakulam, Índia (sécs. XVII-XIX)

Hugo C. Cardoso (ULisboa)








Possessivos de 3ª pessoa na história do português brasileiro

Maria Aparecida Torres Morais (USP)


Pontes entre os crioulos do Golfo da Guiné e a história do português

Tjerk Hagemeijer (ULisboa)








Subjuntivo vs. Indicativo em orações completivas: percurso diacrônico no português brasileiro

Rosane de Andrade Berlinck (UNESP)


Contacto e variação em cabo-verdiano: uma questão de tempo

Fernanda Pratas (ULisboa)








Eu não vi não, eu – a recorrência de novas estruturas linguísticas no português brasileiro

Maria Hozanete de Lima; Teresa de Oliveira (UFRN)


Um olhar sobre o crioulo de Cabo Verde do século XIX através das cartas de A.J. Ribeiro a H. Schuchardt

Nélia Alexandre (ULisboa)











15.00-17.00

6A. Linguística histórica e corpora (S.3.1)


6B. Sintaxe, Semântica (S.4)


 Fernanda Pratas (pres. de mesa)  


 Maria Eugénia Duarte (pres. de mesa)  


Análise de macrocorpora e microcorpora para estudos de linguística histórica

Juan M. Carrasco González (Univ. Extremadura)


Porque é que os relógios não quebram os ponteiros em português europeu?

Anabela Gonçalves; Matilde Miguel (ULisboa)








Continuando o debate sobre a origem do infinitivo flexionado português: uma abordagem “mista” e baseada em corpora

Giulia Bossaglia (UFMG)


Coordenação de constituintes nominais com apenas um determinante

Madalena Colaço; Carolina Gramacho (ULisboa)








Construcciones de participio en documentación catedralicia gallega, asturiana y castellana

Patricia Fernández Martín (Univ. Autònoma Madrid)


Variación e cambio na expresión da alternancia causativa en pares verbais do galego

María Beatriz Domínguez Oroña (USC)








Propriedades da anotação sintática e seu impacto na análise automática e na detecção de inconsistências

Pablo Faria (UNICAMP)


Indefinidos epistémicos em português europeu

Fátima Oliveira (Univ. Porto)















21 de Julho







9.30-11.00

7. Fonologia (S.4)




 João Veloso (pres. de mesa)  




Distribuição das consoantes róticas em português

Andréia de Souza (Univ. Québec Montréal)











Fonoloxización do contraste entre vogais medias en posición pretónica no galego actual

Alba Aguete Cajiao; Elisa Fernández Rei (USC)











Métricas fonológicas na identificação/caracterização de autor

Marina Vigário; Fernando Martins; Carla Pires; Sónia Frota (ULisboa)